Gabriela Lisbôa
São Paulo

Quem gosta de música também gosta de fones de ouvido. Colocar o aparelho significa se desconectar do mundo e viajar no universo da banda preferida, sem se preocupar com o que acontece em volta. No entanto, aumentar o volume pode prejudicar a saúde auditiva.

Usados para ouvir música, assistir a vídeos e filmes pela internet ou pelas redes sociais e até mesmo para ouvir aquela mensagem de voz em aplicativos de mensagens, os fones de ouvido estão cada vez mais presentes na vida das pessoas.

De acordo com o otorrinolaringologista Marcio Salmito, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a recomendação é que a intensidade do som que sai dos fones não seja superior à 80 decibeis.

“Corresponde ao volume de uma campainha comum, ao tom de voz de uma conversa um pouco mais alta ou a uma TV em bom volume para todos”, afirma.

Quanto mais intenso for o som, menor deve ser o tempo de exposição evitando assim a destruição precoce das células auditivas. “Alguns smartphones são equipados com limitadores de som, que avisam quando o volume do áudio está acima dos limites recomendados. Aconselho que as pessoas utilizem recursos deste tipo”, explica.

Uma vez destruídas, as células auditivas não podem ser recuperadas. Outro problema causado pelos fones é que, como o som está muito próximo da orelha, ele vai direto para o tímpano, o que causa uma pressão maior.

O médico também recomenda que as pessoas evitem a exposição aguda aos volumes de sons, como as que ocorrem, por exemplo, em shows. Ficar perto das caixas acústicas provoca uma agressão aguda nos ouvidos, que pode ocasionar zumbido no dia seguinte à exposição exagerada.

Um som muito intenso pode provocar um “trauma acústico”, que leva a uma perda auditiva que requer tratamento imediato.

Para preservar a saúde dos ouvidos, o médico recomenda o uso de fones grandes e externos, que cobrem toda a superfície das orelhas, abafam o som e não atrapalham a saída natural da cera.

Higiene adequada

De acordo com o Salmito, hastes flexíveis de algodão ou qualquer outro objeto não devem ser utilizados para a higiene dos ouvidos.

“Estes instrumentos são largos, ocupando todo o diâmetro do canal auditivo, não conseguindo limpá-los. Eles apenas empurram a cera para o interior do canal, aumentando o risco de infecções”, afirma o especialista.

O médico diz ainda que as pessoas não devem pingar nada nos ouvidos sem orientação médica. “Óleo ou azeite morno, álcool e outros líquidos não devem ser introduzidos nos ouvidos”, finaliza.

Font: https://noticias-r7-com.cdn.ampproject.org/v/s/noticias.r7.com/saude/no-dia-do-rock-veja-os-riscos-do-volume-alto-em-fones-de-ouvido.shtml

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *